Super Meat Boy (X360)

29 11 2010

Super Meat Boy é um jogo conhecido na internet há algum tempo, eu, porém, só fiquei sabendo dele no início deste mês quando ele estreou na Xbox Live.
Algumas mensagens no Twitter faziam citação a ele dizendo o quão difícil o jogo era e, mesmo assim, o quanto ele atraía pessoas a comprá-lo.
Fiz vista grossa por um tempo mas depois resolvi baixar a demo. O jogo era bacana, um platformer em que você tinha que atravessar todo um cenário para chegar até a Bandage Girl e ver ela ser tirada das suas mãos pelo Dr. Fetus. Toda vez. O nível de dificuldade das fases aumentava exponencialmente, e eu sequer cheguei a concluir a demo.
Ignorei o jogo por mais algum tempo, mas subitamente fiquei com vontade de comprá-lo, e não me lembro o que engatilhou isso. Corri para comprar alguns Microsoft Points e pegar o jogo antes que a promoção de 33% de desconto terminasse. Consegui, mas o “pesadelo” (acho que isso é forte demais, mas ok, é pra ser bem dramático mesmo) estava apenas começando.

Meat Boy gosta da Bandage Girl. Bandage Girl gosta do Meat Boy. Ninguém gosta do Dr. Fetus.

Antes d’eu comprar o Super Meat Boy, ninguém tinha me dito, explicitamente, que esse jogo consumia a sua vida. Ele é tão didático, mas tão didático, que você não consegue parar depois que inicia um level. A jogabilidade, majoritariamente, é baseada em tentativa e erro e, uma vez que você saiba ou descubra o caminho que tem de seguir, o jogo meio que te ensina como seguir por ali. Não, não aparece uma mensagem ou um Quick Time Event, é você realmente que melhora com o passar do tempo. Se um pulo de forma X te fez cair no espinho, andando a uma velocidade Y, vamos tentar uma velocidade X com um pulo Y. Lembre-se, tentativa e erro. Você morrerá a poucos centímetros antes de alcançar a Bandage Girl, isso é normal e acontece de tempos em tempos.

O jogo em sua essência é difícil. Eu digo que para jogá-lo e explorar tudo que ele pode oferecer, você precisa de PP. E não são Prestige Points do Modern Warfare 2 e nem os PPs do Dead Rising. Este PP significa “Persistência e Paciência“.
Sem isso você desistirá de jogar logo no terceiro mundo. Além dos leveis normais, ainda tem a versão Sombria de cada level, Warp Zones (onde o Meat Boy estrela em um cenário baseado em um jogo antigo e possui limite de mortes para passar a fase) e as Negative Warp Zones (se você achava uma Warp Zone difícil, espere para ver as Negative).

Em determinadas Warp Zones (uma por mundo), você é introduzido a um personagem de um jogo Indie, e ao concluí-la você o desbloqueia, tornando-o usável. Na versão de Xbox, são cinco: Commander Video (Bit.Trip), Jill (Mighty Jill-Off), The Kid (I Wanna Be The Guy), Ogmo (Jumper) e Flywrench (Flywrench). Além destes, ao coletar um certo número de “bandages”, você pode desbloquear outros personagens: Tim (Braid), Gish (Gish), Alien Hominid (Alien Hominid), 4Bit Meat Boy, 4bit Meat Boy, Spelunky (Spelunky), 4Color Meat Boy, Pink Knight (Castle Crashers) e The Ninja (N+).
Cada um, além de possuir uma habilidade única, são uma homenagem da Team Meat aos respectivos jogos.

IWBTG
Eu já disse que o jogo é bem difícil, mas acho que nada supera a Warp Zone do The Kid. Um vídeo diz mais que mil palavras:

Vendo assim, parece tão simples (ou não, ah pelo menos um pouco). Mas não é. Eu gastei duas horas e meia (direto) pra conseguir passar disso. Tenho relatos de pessoas que levaram nada menos que seis horas pra conseguir. O lado bom disso tudo é que o The Kid possui pulo duplo, o que faz algumas fases tornarem-se mais “fáceis” (enfatize as aspas).

Atributos Técnicos do Jogo
Trilha sonora (que você encontra aqui) e planos de fundo são um espetáculo a parte, cada qual combinando exatamente com o momento que o jogo se passa. O Cotton Alley, apesar de ser um dos mundos mais difíceis, possui os cenários mais belos. Os personagens são simples, estilizados para caber no jogo. As animações em 2D são divertidas e satisfatórias, e possuem várias referências a diversos outros tipos de mídia. Até Clube da Luta entra no meio. Os controles são descomplicados permitindo que você realmente tenha controle absoluto sobre o personagem que controla.

Quando estiver jogando Super Meat Boy, tome seu tempo, aprecie tudo o que os criadores adicionaram ali. Divertir-se é consequência.

Links
Site Oficial
Jogo original em Flash





Marvel vs Capcom 2 – Xbox Live Arcade

24 11 2009

Agora que eu finalmente desbloqueei todos os achievements de Marvel vs Capcom 2, resolvi fazer um pequeno review, analisando todos os pontos deste incrível jogo de luta da Capcom.

Marvel vs Capcom 2 originalmente tinha sido lançado no Dreamcast, PS2 e Xbox (antigo) e foi re-lançado esse ano como jogo arcade pro Xbox 360 e pro PS3.

A segunda versão do jogo de luta crossover traz muito mais jogadores que seu antecessor, a Capcom em particular acrescentou personagens únicos de suas séries (como Jill Valentine) o que ofereceu uma variedade imensa de escolhas.
No jogo você deve escolher três personagens para compor seu time. O primeiro será o que você começa a luta e, enquanto estiver lutando com ele, os outros dois podem dar suporte fazendo pequenos ataques. Caso o seu primeiro personagem seja abatido o segundo escolhido entra logo em seguida. É possível fazer trocas entre os personagens durante qualquer momento da luta. Isso chega a fazer parte da estratégia, pois você pode trocar bem na hora que seu personagem estiver morrendo.

Os gráficos do jogo são absurdamente lindos assim como os movimentos dos personagens. Porém (sempre há um), em questões gráficas o último chefe do modo arcade deixa a desejar, e muito.
Como de costume em Marvel vs Capcom, o último chefe possui várias formas, e a última delas sempre é ele gigante. O chefe de MvC2 na sua última forma nada mais é que um monte de polígonos mal distribuidos e cheio de serrilhados.

A trilha sonora do jogo tem seus altos e baixos, sendo o ponto alto as músicas de fundo durante as batalhas. Elas proporcionam tamanha imersão que, combinada com os traços de HQ e mangá dos personagens, nos fazem querer jogar cada vez mais!

Achievements
Os achievements do jogo são desafiadores, não se esperava menos da Capcom. Temos desde fechar o jogo com as distintas equipes inclusas nele, até achievements de combos e, claro, do modo online.
Os achievements offline não são tão difíceis, assim que você se adaptar ao jogo dá pra desbloquear facilmente, já os online requerem um pouco mais de paciência.
A comunidade online de Marvel vs Capcom 2 permanece bem viva, você pode encontrar salas de jogos a qualquer hora do dia, logo, mesmo que suas habilidades não sejam muito boas, os achievements de vencer ranked matches (um por vencer 50 e outro por vencer 100) podem ser desbloqueados com paciência. Já o outro, que requer 50 vitórias com apenas um personagem é mais complicado. Você precisa vencer 50 lutas com apenas um personagem do seu time (você não pode mudar nenhuma vez, mas pode utilizar a ajuda dos seus parceiros), ou seja, vencer os três personagens do adversário com apenas um seu. Parece impossível mas não é. A maioria das pessoas que tentam esse achievement utilizam dos “combos indefendíveis”, portanto se você encontrar alguém como o cara do vídeo abaixo, não se assuste é só mais um Achievement Hunter.

O site abaixo contém diversos materiais exclusivos do jogo: trilha sonora, imagens e também a opção de ver os Leaderboards, tanto da PSN quanto da Xbox Live:
Clique aqui para acessar o site

Marvel vs Capcom 2 é um jogo obrigatório para qualquer fã do gênero.